Véspera

Véspera

o fim arde
sobre a tarde
fim da tarde

destravo
ainda cravo
o que finda

até o fundo
em que travo
o desagravo
atravessa a tarde

brava tarde a bordo
transbordo
até surgir obscuro
borbulho

*

Ângelo Luís e Francisco Settineri

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s