Xilotragédia

Xilotragédia

dissentiu o poema
sem forma
sem fórmula
do verso reverso
das adaptações
de algibeira
sem repertório
sobrou o factoide
entre os insanos
como lepra malsã

restou
o naufrágio
do navio
xilografado
deteriorado
sem saber de nada
afundou a poesia
sem respeito
pelos acorrentados
sem mastro
sem Castro
sem vergonha

p.s. última estrofe do Navio Negreiro, Castro Alves

“Fatalidade atroz que a mente esmaga!
Extingue nesta hora o brigue imundo
O trilho que Colombo abriu nas vagas,
Como um íris no pélago profundo!
Mas é infâmia demais! … Da etérea plaga
Levantai-vos, heróis do Novo Mundo!
Andrada! arranca esse pendão dos ares!
Colombo! fecha a porta dos teus mares!”

*

Ângelo Luís e Francisco Settineri

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s