Publicado em Pedro Xisto

SONETO DAS ENTRADAS

SONETO DAS ENTRADAS

Pedro Xisto

Da terra dos palmares rompe as barras
verdes (entreluzindo, um ouro puro…)
ó Luso que, do sonho sob as garras,
proa trouxeste contra todo escuro.

À tua espera vês porto seguro;
e a nau, senão teu peito, logo amarras.
alto, o cruzeiro queres; largo, o muro;
longo, o beiral em ninhos e guitarras.

À lua cheia, tens lençóis macios,
de que despertes bem com os estios
quando se avulta a pátria nova, estuante.

Os sete mares, troca pelos rios
sem conta nem medida. E corre, adiante,
ao chamado da terra, ó bandeirante!

*

Ângelo Luís

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s